Coreia do Norte decreta estado de alerta na fronteira

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou nesta sexta-feira o estado de alerta militar na fronteira
determinando que as tropas estejam prontas para o combate, após um duelo de artilharia com o Exército sul-coreano.

Segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, Pyongyang tomou a decisão em uma reunião de emergência da poderosa Comissão Militar Central, presidida por Kim Jong-un, na quinta-feira.

Durante a reunião, Kim Jong-un ordenou que unidades combinadas do Exército Popular Coreano (KPA) estacionadas na fronteira entrem em alerta a partir das 17H00 local de sexta-feira (05H00 Brasília) para estar "plenamente prontas para o combate e lançar operações surpresa", destacou a KCNA.

A reunião da Comissão Militar norte-coreana ocorreu horas após um duelo de artilharia entre os exércitos nos dois lados da fronteira, que não provocou baixas.

A Coreia do Sul disparou dezenas de obuses em direção ao lado da fronteira da Coreia do Norte, em resposta a um suposto ataque com foguete de Pyongyang.

Em seguida, Pyongyang deu um ultimato de 48 horas a Seul para desmantelar os alto-falantes que fazem propaganda na fronteira, sob pena de se expor a ações militares.

O ultimato expira às 08H00 GMT (05H00 Brasília) de sábado.

O ministério sul-coreano da Defesa rejeitou o ultimato e garantiu que a difusão da propaganda continuará.



ZH

Atualizações

Traduzir