Morre o ex-deputado federal pernambucano Pedro Eugênio

Ele também foi presidente estadual do PT de Pernambuco e faleceu em decorrência de problemas cardíacos

Pedro Eugênio lutava contra problemas cardíacos Foto: JC Imagem

Faleceu na noite desta segunda-feira (20), eem São Paulo, em decorrência de problemas cardiacos, o ex-deputado federal e ex-presidente do PT de Pernambuco Pedro Eugênio, 66 anos. Ele lutava há quatro anos contra problemas no coração, que se intensificaram há três meses. Foi para o Hospital de Beneficência de São Paulo, onde passou por cirurgia e estava se recuperando.

Pedro Eugênio teve problemas cardíacos pela primeira vez há quatro anos. Durante uma reunião na sede da Amupe, ele passou mal e precisou ser socorrido às pressas. Exames apontaram que ele tinha um aneurisma no coração. Pedro passou por delicada cirurgia e conseguiu se recuperar bem. Entretanto, algumas fontes informaram que há três meses o parlamentar começou a ter novos problemas cardíacos e iniciou tratamento, sem sucesso.

Até as 23h25 desta segunda, o PT de Pernambuco não havia se pronunciado de forma oficial sobre a morte de Pedro Eugênio. Local e horário de velório e enterro também não foram divulgados até então.

Pedro Eugênio de Castro Toledo Cabral nasceu no Recife em 29 de março de 1949. Economista formado pela UFPE, turma de 1975, ensinou na mesma faculdade, sendo professor de Eduardo Campos, com quem passou a ter laços de amizade.

Com a eleição de Miguel Arraes para o governo de Pernambuco, em 1986, foi convidado e tornou-se secretário de Agricultura, Ocupou pastas em outros governos de Arraes: foi secretário de Planejamento (1989-1990) e da Fazenda (1995-1996).

Iniciou a vida parlamentar como deputado estadual eleito pelo PSB, partido ao qual se filiou. Em 1994, foi eleito deputado estadual pela legenda socialista com 40.486 votos. Dois anos depois, ingressou no PPS e, em seguida, ao PT, por onde se elegeu deputado federal com expressivos 85.140 votos, e se reelegeu em 2010 com 80.657 votos.

Em 2012 concorreu à Prefeitura de Ipojuca, mas ficou em 4º lugar, com apenas 2,981 votos. Em 2014 obteve 61.025 votos para deputado federal, mas não se elegeu, ficando na terceira suplência.



Fonte: JC online

Atualizações

Traduzir