Morre, aos 74 anos, o Mestre Camarão

Sanfoneiro era o último forrozeiro patrimônio vivo de Pernambuco

Foto: Net/Divulgação

Morreu nesta terça-feira no Recife, às 8h10, o forrozeiro Mestre Camarão. O instrumentista, compositor e acordeonista Reginaldo Alves Ferreira, de 74 anos, estava internado no Hospital Santa Joana desde a quinta-feira passada.

Ele fazia hemodiálise há anos, havia sofrido uma infecção intestinal e foi hospitalizado para a realização de exames. Com problemas cardíacos, ele não teria resistido a uma queda de pressão e faleceu na manhã desta terça-feira, depois de o quadro de infecção ficar generalizado.

Mestre Camarão nasceu na Fazenda Velha, no município do Brejo da Madre de Deus, em Pernambuco, no dia 23 de junho de 1940. Ele era o último dos forrozeiros de Pernambuco que tinham o título de patrimônio vivo, ao lado de João Silva e Arlindo dos 8 Baixos, ambos falecidos no ano passado. O apelido veio no início da carreira artística, por meio de Jacinto Silva, apresentador de um programa da Rádio Difusora de Caruaru, ao qual o sanfoneiro chegou atrasado e com o rosto vermelho. "Chegou o camarão", teria dito o comunicador.

O sanfoneiro seria uma das atrações convidadas para a comemoração de um ano do museu Cais do Sertão, no Recife Antigo, no próximo domingo, 26 de abril, às 15h30. O grupo Bongar e atrações surpresas estarão na festa, em homenagem a Arlindo dos Oito Baixos (1942-2013), outro Patrimônio Vivo da sanfona falecido no ano retrasado. Ele também estaria na programação do projeto Acordeom na Noite, realizado no espaço cultural Nosso Quintal, no Prado, sempre nos últimos domingos do mês. 




Fonte: DP


Atualizações

Traduzir