Bolsa recua 2,47%, maior queda diária em mais de 2 meses; Petrobras cai 5%

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em queda de 2,47% nesta quinta-feira (26), a 50.579,85 pontos. É a maior queda percentual diária em mais de dois meses, desde 19 de janeiro, quando a Bolsa havia caído 2,57%.

Na véspera, a Bolsa havia subido 0,68%.

As ações da Petrobras tombaram 5% e puxaram a queda da Bovespa. Ontem, os papéis da petroleira haviam subido 5%. As ações dos bancos Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco, que assim como a Petrobras têm grande peso sobre o Ibovespa, também influenciaram a queda do índice nesta sessão.

Os papéis ordinários da Petrobras (PETR3), com direito a voto em assembleia, recuaram 5,04%, a R$ 9,23. Os papéis preferenciais (PETR4), com prioridade na distribuição de dividendos, perderam 4,98%, a R$ 9,35. 

O banco do Brasil (BBAS3) teve desvalorização de 3,91%, o Bradesco (BBDC4) encerrou em queda de 3,08%, e o Itaú Unibanco (ITUB4) caiu 2,82%. 
Dólar fecha em queda de 0,39%, a R$ 3,191

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em queda de 0,39%, cotado a R$ 3,191 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana havia subido 2,43%.

O dia foi instável devido a grandes operações tanto de entrada como de saída de dólares. 
Bolsas internacionais

As Bolsas de Valores da Europa fecharam em queda nesta quinta-feira. O mercado de ações da Inglaterra recuou 1,37%, o da Alemanha caiu 0,18%, e o da França perdeu 0,29%. A Bolsa da Itália teve queda de 1,06%, a de Portugal caiu 1,1%, e a da Espanha registrou baixa de 0,1%. 

Na Ásia e no Pacífico, as principais Bolsas também fecharam em baixa. A Bolsa de Tóquio caiu 1,39%, maior perda em 10 semanas; a Bolsa de Sydney recuou 1,58%; a de Seul perdeu 0,99%; Taiwan teve baixa de 0,5%; e Hong Kong caiu 0,13%.

Na contramão, a Bolsa de Xangai subiu 0,59%, e a de Cingapura ganhou 0,37%.




Fonte: Uol/Reuters

Atualizações

Traduzir