Sargento da PM e um detento morrem no Complexo do Curado

O sargento da Polícia Militar (PM) Carlos Silveira do Carmo, de 44 anos, e o detento Edivaldo Barros da Silva Filho, 34, morreram na tarde de ontem durante tumulto no Complexo Prisional do Curado, na zona oeste do Recife. Pelo menos 21 reeducandos ficaram feridos.

Durante a manhã de ontem, os detentos das três unidades prisionais do complexo realizaram um protesto, equipados com faixas e cartazes, para reivindicar maior celeridade no julgamento dos processos judiciais.

A situação, que havia sido controlada, ficou mais tensa no início da tarde e o Batalhão de Choque precisou ser acionado. O sargento da PM foi atingido por um tiro enquanto estava na guarita. O disparo partiu de dentro do presídio.

O Chefe da Polícia Civil, Antônio Barros, designou na tarde de ontem o titular da 4ª Delegacia de Homicídios, o delegado João Paulo Andrade, para apurar a morte do sargento.

Ainda na noite de ontem, o juiz da 1ª Vara de Execuções Penais do Recife, Luis Rocha, convocou uma coletiva de imprensa para prestar esclarecimentos sobre o caso no Fórum Rodolfo Aureliano, na Ilha do Leite. Até o fechamento desta edição, a coletiva não havia terminado e a Secretaria Executiva de Ressocialização não havia dado detalhes sobre o ocorrido.

Crise no sistema carcerário

A crise do sistema carcerário em Pernambuco foi exposta no início deste mês após imagens captadas pela rede Globo denunciarem presos utilizando facões e celulares dentro dos presídios do Complexo do Curado.

Três dias depois da denúncia, o então secretário-executivo de Ressocialização de Pernambuco Humberto Inojosa renunciou ao cargo alegando motivos pessoais.



Fonte: D. Jornal

Atualizações

Traduzir