OAB-DF nega registro de advogado a Joaquim Barbosa

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal, Ibaneis Rocha Barros Júnior, recomendou à Comissão de Seleção da entidade a rejeição do pedido apresentado no último dia 19 pelo ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, para reativar seu registro de advogado.

Segundo Ibaneis, que fez o pedido de impugnação como advogado e não como presidente da entidade, o ministro aposentado não pode obter o registro porque feriu o Estatuto da Advocacia quando foi presidente do Supremo e criticou a categoria.

"Barbosa não tem condições de exercer a advocacia. Ele feriu a Lei 8.906/1994, que exige para inscrição como advogado, idoneidade moral", disse Rocha.

Entre as críticas de Barbosa à classe citadas por Rocha, está a que "advogados acordam lá pelas 11h" e a opinião de que há conluio entre certos juízes e advogados.

A análise deverá ser feita até cinco dias após o recebimento da solicitação pela Comissão de Seleção da OAB-DF. A expectativa é que a decisão seja tomada até a próxima sexta-feira.

Caso haja rejeição, Barbosa poderá recorrer ao Conselho Pleno da entidade na próxima sessão, que deverá ser realizada até dia 15. O ex-presidente do STF poderá recorrer também ao Conselho Federal da OAB Nacional que se reúne uma vez por mês.

À "Folha de S. Paulo", Barbosa declarou que não acredita que a OAB tomará, em caráter final, uma decisão tão arbitrária.



Fonte: D. Jornal

Atualizações

Traduzir