Médicos estão perplexos após não conseguirem diagnosticar doença de garoto de 12 anos que não come há 1 ano

Há 1 ano, Landon Jones parou de ingerir alimentos de forma espontânea.

Tudo começou em uma noite qualquer, onde seu apetite desapareceu, horas depois de ter devorado uma pizza e uma grande taça de sorvete.

Quando acordou na manhã de 14 de outubro de 2013, Landon perdeu completamente a sensibilidade da fome e da sede. O jovem era completamente ativo, tinha grande energia, andava diariamente de bicicleta no parque com seus irmãos.

Hoje, ele encontra-se adoecido, sente tonturas quase 24 horas por dia. A família já viajou para 5 cidades nos Estados Unidos em busca de um diagnóstico, mas nenhum médico foi capaz de entender o que está acontecendo.

Alguns profissionais tentaram administrar antibióticos, mas não surtiram nenhum efeito.


Os pais, Michael e Debbie, levaram o filho na Mayo Clinic, renomada internacionalmente, mas mesmo após incessantes reuniões entre os especialistas mais experientes, nenhum problema conhecido foi encontrado.

Em um ano, o máximo que os pais conseguiram foi fazê-lo comer uma mordida em seu sanduíche preferido e algumas batatas fritas. Seu corpo está tão fraco que ele apenas fica deitado no sofá, e já ficou meses sem ir à escola.

Os pais insistem, a todo momento, que ele tome água e tente morder qualquer coisa para não morrer de desnutrição aguda. O próximo passo será fazer uma cirurgia para inserir um tubo de alimentação em seu estômago.

De acordo com Michael, pai do garoto, o problema está no hipotálamo, uma pequena glândula, do tamanho de uma ervilha, localizada no cérebro.

Segundo o Dr. Marc Patterson, neurologista infantil da Mayo Clinic, nenhum diagnóstico foi possível até o momento e este pode ser o primeiro caso no mundo dessa doença.


O médico ainda cogita que existe a possibilidade do problema ter sido desencadeado depois de um tratamento que Landon fez há 3 anos para tratar uma ‘crise de ausência’. Ele sentava-se em um ponto e mantinha o olhar longe, no horizonte, e ficava alheio ao mundo ao seu redor.

Outros médicos dizem que é possível que a teoria esteja certa. As drogas usadas para tratar Landon foram administradas por 1 ano.

Os fármacos usados para este problema psiquiátrico, segundo o Dr. Marc Patterson, podem levar ao excesso de apetite e aumento de peso, o que torna a doença ainda mais contraditória e misteriosa.

Os pais estão apelando para que médicos ou especialistas de qualquer parte do mundo possam dar pistas ou fornecer alguma ideia sobre o que pode estar acontecendo. Para os interessados em ajudar, é possível entrar em contato com a família através do e-mail hawkeyext@cfu.net



Fonte: JC

Atualizações

Traduzir