Primeira cirurgia plástica do mundo foi feita em marinheiro da Primeira Guerra Mundial com terríveis enxertos de pele


Quando Walter Yeo foi gravemente ferido durante a Primeira Guerra Mundial, ele se tornou o primeiro paciente registrado na história a passar por uma cirurgia plástica moderna.

As fotografias mostram como ele era antes e como ficou depois dos procedimentos. Os médicos tentaram, de modo pioneiro, reconstruir seu rosto há quase 100 anos.

Yeo sofreu com ferimentos terríveis, incluindo a perda das pálpebras enquanto estava manejando armas a bordo. Ele foi tratado em 1917 pelo médico Harold Gillies – o primeiro profissional que usou enxertos de pele de áreas não danificadas. Por este motivo, ficou conhecido como “o pai da cirurgia plástica”.


A vida de Yeo foi revelada em uma exposição do Royal Albert Memorial Museum, no Reino Unido. O projeto, chamado de ‘1914FACES2014’ tentou mostrar e captar informações sobre os sobreviventes dos parentes de Yeo.

A pesquisadora Marjorie Gehrhardt, da Universidade de Exeter, comentou que está em busca de outras informações de dezenas de marinheiros que passaram pelo mesmo problema e foram usados como “cobaias” nas primeiras cirurgias plásticas e como essas pessoas lideram com o retorno a sociedade.


Yeo nasceu em 1890 e depois de se casar com Ada, ficou gravemente ferido na Batalha da Jutlândia. Ele foi internado no dia 8 de agosto de 1917, dois meses após Harold Gillies ter aberto sua clínica especializada em feridos da guerra.

O jovem marinheiro recebeu suas pálpebras e as diversas estruturas que haviam sido arrancadas. Na verdade, o aspecto assemelhava-se com uma “máscara” de pele.


O Dr. Harold e seus colegas realizaram mais de 11.000 cirurgias plásticas em 5.000 homens que voltavam da guerra desfigurados por bombas.

Fonte: DailyMail / J. Ciência 
Foto: Reprodução / DailyMail


Atualizações

Traduzir