Adesivos de nicotina não ajudam os fumantes a abandonarem o vício, diz pesquisa

Pesquisadores sugerem que ex-fumantes tem probabilidade de recaída mesmo em terapias de reposição de nicotina. Os adesivos não são melhores do que a força de vontade para ajudar os fumantes a parar.

Testes clínicos haviam sugerido que a terapia de reposição de nicotina pode dobrar as chances de um fumante abandonar o hábito, mas um novo estudo com 800 pacientes descobriu que seu uso não fez diferença para a desistência do vício.

O estudo mais recente - pela Escola de Saúde Pública de Harvard e da Universidade de Massachusetts, Boston – feito pelo pesquisador Hillel Harvard Alpert, abordou pacientes investigados que deixaram de fumar entre 2001 e 2006. "A principal descoberta é que as pessoas que deixaram o fumo voltaram a taxas equivalentes, quer tenham ou não usado a terapia de reposição de nicotina para ajudá-los em suas tentativas, em clara distinção com os resultados de ensaios clínicos randomizados” afirma.

Os resultados foram os mesmos para os fumantes gordos e magros com aconselhamento psicológico. Hillel lembra que "este estudo mostra que o uso de adesivo não é mais eficaz em ajudar as pessoas a parar de fumar cigarros, em longo prazo, do que os que tentam sair por conta própria”.


Em um relatório on-line do jornal Tobacco Control, companheiros do autor Lois Biener afirmam que o financiamento para NRT poderia ser melhor gasto em outras intervenções. Na terapia de reposição, gomas, spray nasal ou inaladores são utilizados para suprir a nicotina na corrente sanguínea. E ressaltam que por meio desse tratamento é possível desistir do fumo em pelo menos quatro semanas, mas não sem força de vontade.

Um porta-voz do Departamento de Saúde ressalta que "outros estudos têm mostrado que o tratamento com nicotina é seguro e eficaz, e pode dobrar as chances de uma pessoa de parar de fumar”.

Pesquisas norte-americanas ainda sugerem que os adesivos de nicotina podem ajudar a melhorar a perda de memória entre os idosos. Os testes constataram uma melhora 46% em suas habilidades de memória, de acordo com um relatório na revista Neurologysobre o estudo da Vanderbilt University School of Medicine, em Nashville. E ainda uma pesquisa anterior sugeriu que a nicotina ajuda a capacidade mental das pessoas que sofrem de Alzheimer.

O NHS gasta mais de 200 milhões de reais por ano em programas para eliminar o vício de fumantes.

Fonte: Foto: Reprodução / The Sun / Wikipedia Commons

Atualizações

Traduzir