Vinícius de Moraes, mais vivo do que nunca

Músico, que morreu em julho de 1980, é um dos nomes mais importantes da cultura brasileira

Em 19 de outubro de 1913, o Brasil ganhava aquele que seria um dos nomes mais importantes da música e da poesia no País. Há exatos cem anos, nascia no Rio de Janeiro Vinicius de Moraes, o Poetinha.

Parceiro de nomes como Tom Jobim, Toquinho, João Gilberto e Chico Buarque e autor de obras como Garota de Ipanema, A Arca de Noé e Tarde em Itapoã, o legado deixado pelo poeta é até hoje — mais de 30 anos após sua morte — uma das referências do Brasil para o mundo.

Ele também escreveu a peça Orfeu da Conceição e adaptou sua obra para o cinema, com direção do cineasta e escritor francês Marcel Camus, que filmou a obra no Rio de Janeiro. O longa ganhou a Palma de Ouro, no Festival de Cannes, e o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 1959.

Foi, ainda, diplomata e aposentou-se compulsoriamente pelo governo militar. Casou-se nove vezes e era considerado uma figura apaixonante.


Fonte: R7

Atualizações

Traduzir