Médicos estrangeiros aprende um pouco da nossa Cultura

A capacitação dos 115 médicos estrangeiros que estão no Estado pelo programa federal Mais Médicos começou ontem, no campus de Vitória de Santo Antão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).
Usando didáticas da cultura popular, como a literatura de cordel, os médicos vindos de países como Cuba, Espanha e Itália irão assistir nas próximas três semanas aulas de língua portuguesa e de saúde pública brasileira.
"A gente está trabalhando com a educação popular como um dos elementos estruturantes do curso", afirmou o coordenador da capacitação, Rodrigo Cariri. Na aula inaugural, ontem, um cordel foi recitado para os profissionais estrangeiros, que devem atuar nas zonas rurais e periferias das grandes cidades já no fim de setembro.
Divididos em três turmas e sob a supervisão de um médico local e um tradutor, os médicos estrangeiros aprenderão esta semana sobre a realidade brasileira. A legislação e história do SUS também serão abordados até sexta.
Na próxima semana, a capacitação será sobre conhecimentos mais específicos, como a atenção primária à família e os protocolos de saúde. Já nos últimos dias, o foco será nos procedimentos éticos e legais da legislação brasileira e prática da medicina no país.
"A avaliação dos médicos estrangeiros é permanente e começa durante o curso, mas a supervisão vai durar todo o tempo em que estiverem no Brasil", afirmou Rodrigo Cariri.
Apesar de não estar incluso na capacitação, alguns professores estão preparando para os estrangeiros um dicionário de termos populares, como "quebranto" e "espinhela caída". "Essa é uma dificuldade também para os médicos brasileiros", disse Cariri.
Fonte: Destak Jornal

Atualizações

Traduzir