Estudante diz que foi agredida por policiais

Uma estudante de direito de 43 anos afirma ter sido sequestrada e espancada por dois homens que, segundo ela, são agentes da Polícia Civil.
Por meio de sua página pessoal no Facebook, Vatsyani Marques Ferrão fez as acusações e publicou fotos com os hematomas.
De acordo com o relato feito pela estudante, o crime aconteceu às 10h40 da última quinta (22). A estudante esperava dentro do carro pela mãe, na Boa Vista, quando viu que ela tinha sido abordada por dois desconhecidos, que tentavam colocá-la no carro em que chegaram. Vatsyani disse que tentou socorrer a mãe, mas foi algemada e colocada no banco traseiro do veículo. Um dos homens dirigia e o outro a agredia com cotoveladas e com um revólver.
No trajeto pela av. Conde da Boa Vista, os gritos de Vatsyani chamaram a atenção de uma equipe da CTTU, que abordou o motorista. Um dos agressores se identificou como policial e disse que ela era uma drogada que seria levada para a delegacia.
Ainda segundo o relato, ela foi levada para a Delegacia do Idoso, na rua da Glória, e novamente agredida em uma sala. Em seguida, ela disse que foi liberada por um delegado. A estudante então entrou em contato com seu advogado. "Condicionamos a saída dela à presença de alguém da Corregedoria, e esperamos até que chegasse lá uma delegada, que ficou pasma com o que viu. Depois fomos à delegacia de Santo Amaro, prestar queixa, e ao IML, fazer o exame de corpo de delito", disse o advogado André Fonseca. A motivação para a agressão, segundo ele, pode ser uma denúncia feita por furto. O advogado não confirmou nem negou a possibilidade de ela ter sido agredida por ter participado dos protestos na quarta-feira.
A Secretaria de Defesa Social, afirmou que a Corregedoria de Polícia já instaurou uma sindicância para apurar o caso.
Fonte: Destak Jornal

Atualizações

Traduzir