Avianca fica proibida de vender passagens aéreas por oito dias

A empresa Avianca (Ocean Air) está proibida de comercializar passagens aéreas para qualquer destino com partida de Pernambuco durante um prazo de oito dias. A suspensão foi anunciada ontem pelo Procon-PE.
Segundo o órgão de defesa do consumidor, a decisão é decorrente do desrespeito da empresa com 95 passageiros que tiveram remarcado e cancelado o voo 6311 (Recife-Guarulhos), que sairia da capital no domingo, por três vezes seguidas.
Inicialmente o voo sairia para São Paulo às 7h55, sendo remarcado para a segunda-feira, às 10:17h., e em seguida adiado para as 20h. Após as mudanças, a Avianca cancelou o voo, sem previsão de remarcação.
Apesar dos transtornos, a empresa continuou comercializando as passagens para o voo durante o domingo e a segunda-feira.
De acordo com o Procon, a Avianca, além de não prestar assistência aos passageiros, não informou os direitos previstos pela Anac, que garantem ao consumidor o reembolso integral do valor da passagem, inclusive das taxas, em casos de atrasos que superem quatro horas, ou ainda a reacomodação em outro voo da empresa ou de outras empresas aéreas.
A situação dos passageiros só foi regularizada com a intervenção do Procon. Eles foram acomodados em voos de outras empresas. Os últimos embarcaram pela Gol às 6h40 da manhã de ontem.
A Avianca pode pagar multas que ultrapassam R$ 500 mil.
Ainda ontem era possível comprar passagens saindo de Pernambuco pelo site da empresa e no guichê do aeroporto. O Procon afirmou que a Avianca pode ser punida mais severamente pelo descumprimento. Já a empresa informou que o departamento jurídico analisa a proibição.
Fonte: Destak Jornal

Atualizações

Traduzir