Apesar de decisão judicial, rodoviários continuam em greve

Os usuários do transporte público que esperavam um dia mais tranquilo após a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) sobre o fim da greve dos rodoviários, se depararam ontem com uma nova mobilização e podem voltar a enfrentar transtornos hoje.
Em assembleia na noite de ontem, o grupo Oposição dos Rodoviários, ligado à CUT, decidiu pela manutenção do movimento, mesmo após ser considerado abusivo pela justiça, com imposição de multa diária de R$ 100 mil.
Para hoje, a determinação do grupo é que cada ônibus faça apenas duas viagens e às 8h paralise os serviços, deixando os veículos nos terminais. Às 17h, os profissionais voltam a trabalhar, mas novamente fazendo duas viagens.
Ontem, apesar da saída normal logo no início da manhã, às 10h teve início mais um protesto, com ônibus bloqueando ruas do Centro do Recife e estacionados nos principais corredores viários como a Agamenon Magalhães, sentido Olinda/ Boa Viagem e avenida Guararapes, no Centro. Agentes da CTTU também realizaram bloqueios nessas áreas.
Segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte, o horário de pico, das 5h30 às 9h, começou com 62,6% dos ônibus saindo das garagens, mas atingiu 79,4%.
A mobilização foi motivada pelo reajuste salarial e de vale-alimentação de 7% concedido à categoria pela Justiça anteontem, quando o solicitado era de 33%. Os rodoviários pediram ainda a anulação dos descontos dos profissionais que aderiram à paralisação.
O grupo de oposição se reuniu com representantes do governo do Estado e apelou para um intermédio nas negociações com os patrões. Por outro lado o sindicato patronal, Urbana-PE, afirmou ontem que faria um pedido nas televisões e rádios para que os profissionais voltem aos trabalhos. Com a abusividade da greve, as empresas estão autorizadas a descontar os dias parados e fazer demissões.
Fonte: Destak Jornal

Atualizações

Traduzir