Paralisação de motoristas e cobradores nesta quinta-feira


Um encontro, na tarde desta terça-feira (18), apresentou os novos passos do movimento intitulado Oposição Rodoviária de Verdade, que se mostra contrário às diretrizes do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário em Pernambuco. O grupo, que na última sexta-feira (14), articulou e promoveu um protesto parando a circulação dos ônibus na Capital, reafirmou a intenção de organizar um novo ato, programado para a tarde desta quinta-feira (20). O intuito é de que os trabalhadores mais uma vez venham a cruzar os braços em busca de melhorias.

“Não podemos mais aceitar as deliberações da atual gestão, que há anos vem atrapalhando os reais interesses da classe. Chegamos a uma situação insustentável e, desta forma, exigimos a exoneração desta direção, que já não representa a nossa categoria. Temos a certeza de que nosso objetivo é legítimo e conta com o apoio de quase a totalidade dos trabalhadores”, afirmou Aldo Lima, à frente da liderança do movimento opositivo.
De acordo com a organização, a liderança sindical estaria atuando em consonância com o interesse dos patrões, sem expressar uma real representação dos anseios dos trabalhadores. O grupo segue com as acusações de que o atual diretor da entidade, Patrício Magalhães, exerceria algum tipo de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana/PE), fazendo com que as reivindicações não fossem atendidas. “O processo de eleição não possui transparência, não temos acesso às atas e documentos, assim como ao estatuto. O que vemos são fatores que colaboram para um mandato de 33 anos, algo inadmissível e muito contraditório”, denuncia Aldo.
Com local ainda não definido, a paralisação da quinta-feira (20) está programada para se estender das 16h às 19h. Na contramão do movimento, representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Pernambuco participam de mais uma rodada de negociações, na sede da Procuradoria Regional do Trabalho da 6ª Região, no bairro do Espinheiro, no Recife. Ainda conforme o movimento dissidente, se uma posição favorável não for sinalizada, uma greve de advertência poderá ser articulada e, em um segundo momento, ocorrer a deflagração de uma greve geral por tempo indeterminado.
Insatisfação
A onda de manifestações generalizadas que atinge as principais Capitais do País, também já aporta no Recife. O primeiro ato aconteceu na noite da última segunda-feira (17), quando aproximadamente 500 estudantes e trabalhadores realizaram uma passeata pelo centro, divulgando a população o ato intitulado “À Luta Recife: pelo transporte público de qualidade”, marcado para acontecer nesta quinta-feira (20), na Praça do Derby, com concentração às 16h. O mote do protesto será a diminuição da passagem de ônibus, além do passe livre para pessoas desempregadas e para estudantes.

Fonte: Folha-Pe.

Atualizações

Traduzir