Após BB, Caixa também prepara plano de redução de custos

A Caixa Econômica Federal (CEF) deve seguir o exemplo do Banco do Brasil (BB) e planeja medidas de aumento de eficiência para 2017, disse ontem o presidente do banco, Gilberto Occhi.

O banco público deve fazer um novo programa de aposentadoria incentivada que pode atingir cerca de 11 mil funcionários.

No entanto, o programa não pode ser feito agora porque a Caixa precisa de R$ 1,2 bilhão para pagar incentivos e direitos.

A instituição também estuda a possibilidade de fechar, em 2017, 100 agências que não dão lucro.

Para não depender de um aporte da União, a Caixa pretende abrir o capital de duas empresas: a Lotex e a Caixa Seguridade.

"A ideia é que a operação [venda de capital da seguradora] seja feita no primeiro semestre do ano que vem", afirmou, ontem.

No domingo, o BB anunciou o fechamento de 402 agências e a transformação de outras 379 em postos de atendimento, além do encerramento de 31 superintendências regionais. A meta é reduzir em até R$ 3 bilhões os gastos com a folha e cerca de 9 mil vagas.

Das agências afetadas, 20 estão em Brasília, 16 em Pernambuco, 40 no Rio e 72 na capital paulista.

O BB também lançou um plano de aposentadoria antecipada.

A decisão do BB agradou e, as ações subiram ontem 7,84%.




Destak Jornal

Atualizações

Traduzir