Cientistas se reúnem para discutir como defender a Terra em futuras colisões de alto impacto com asteroides

Cientistas se reúnem para discutir como defender a Terra em futuras colisões de alto impacto com asteroides

Os cientistas acreditam que existam cerca de um milhão de asteroides próximos da Terra 
que poderiam representar uma ameaça para o nosso planeta - mas apenas uma pequena fração deles foi detectada.

A ameaça é tão grave que o ex-astronauta Ed Lu a descreve como 'roleta cósmica’ e disse que apenas uma ‘sorte às cegas', salvou a humanidade de um sério impacto, até hoje.

Agora, o Comitê das Nações Unidas para o Uso Pacífico do Espaço (Copuos), criou uma equipe de ação especial para lidar com o problema.

Apelidada de International Analysis and Warning Network (IAWN), a equipe vai se reunir e analisar informações sobre asteroides para alertar os governos de uma ameaça em potencial.

De acordo com Leonard David, em relato ao Space.com, vários grupos já existem para controlar a ameaça de asteroides, mas o IAWN espera reunir todos esses conhecimentos em um só lugar.

Outro grupo, chamado de Space Mission Planning Advisory Group (SMPAG), também está disposto a promover colaboração internacional com o intuito de desviar asteroides ameaçadores.

Pela primeira vez, o SMPAG está permitindo que as agências espaciais nacionais das Américas do Norte e Sul, Europa, Ásia e África coordenem a reação às ameaças de asteroides.

A prova cabal de que qualquer um destes objetos pode atingir a Terra veio em 15 de fevereiro do ano passado, quando um objeto desconhecido explodiu acima de Chelyabinsk, na Rússia, com energia de 20 a 30 vezes maior que a da bomba atômica de Hiroshima.



A onda de choque resultante causou danos generalizados e muitos feridos, tornando-se o maior objeto natural conhecido por ter entrado na atmosfera, desde o evento de Tunguska, em 1908, que destruiu uma área de floresta da Sibéria.

Não são apenas as agências espaciais ao redor do mundo que estão reunindo seus talentos. A NASA revelou que pretende destinar missões de caça a asteroides, podendo salvar o mundo de possíveis choques.

A Nasa está oferecendo até US $ 35.000 (pouco mais de R$ 79 mil), para quem desenvolver um código de computador capaz de identificar asteroides que ameaçam a vida.

A recompensa é parte de seu concurso chamado Asteroid Data Hunter (Dados de Caça de Asteroides) que planeja reduzir o número de falhas encontradas em imagens feitas por telescópios terrestres.

Ao longo das últimas duas décadas, a Nasa tem procurado perigosos objetos cósmicos próximos da Terra de tamanho maior que 1 quilômetro, e afirma ter encontrado 98 por cento deles.

Mas os sistemas de detecção de asteroides existentes só podem acompanhar 1% dos objetos estimados que orbitam o Sol, segundo a empresa de mineração de asteroides Planetary Resources, que é parceira da Nasa no projeto.

Em uma sessão realizada na recente conferência SXSW, no Texas, o cientista da NASA Jason Kessler disse: "A probabilidade de alguma coisa bater na Terra no futuro é muito grande, embora não estejamos nos preocupando tanto com essa ameaça iminente".



Fonte: DailyMail
Foto: Reprodução / DailyMail e HuffingtonPost

Atualizações

Traduzir